Categorias:

Conheça 17 práticas de automação da SharpSpring

capa ebook automações sharpspring

Sabia como a plataforma SaaS da SharpSpring possibilita automações capazes de aumentar as taxas de conversão das empresas

Os softwares de marketing de automação são muito mais do que meios que reduzem o fluxo de trabalho: são ferramentas poderosas e funcionais para converter leads, melhorar o relacionamento com os usuários e aumentar a rentabilidade das empresas. 

De acordo com um levantamento da Oracle, 44% dos departamentos de marketing que implementaram softwares de automatização atestam seus benefícios em até seis meses de utilização. 

Dentre os principais benefícios desta estratégia, segundo a Oracle, estão o aumento de leads e das taxas de conversão; a melhoria na produtividade das equipes; a capacidade de personalização; e o acréscimo do ROI. Além disso, também é possível micropersonalizar conteúdos de forma automatizada e totalmente centrada nas necessidades dos usuários, gerando uma atenção completa e eficaz do início ao fim da jornada.

17 práticas de automação

Um exemplo de ferramenta de automação é a SharpSpring – uma plataforma global de automação de marketing e CRM, oferecida por meio de uma plataforma SaaS (Software-as-a-Service).

O software norte-americano chegou ao Brasil em 2015, e está presente em cerca de 26 países. Ela é, hoje, a plataforma de automação mais bem-avaliada em todo o país.

A SharpSpring reúne todos os relatórios e recursos de marketing e vendas em um único sistema, potencializando a eficiência das operações e gerando leads mais efetivos e nutridos de conteúdos.

Reunimos, nesta publicação, 17 possibilidades de automação programáveis na plataforma da SharpSpring. Confira:

1. De compra não-concluída à concluída

Uma das dúvidas mais comuns das empresas é: como encaminhar um lead do topo para a base do funil? O sistema da SharpSpring entende que todos os visitantes de uma página são compradores potenciais, uma vez que a visitação denota interesse no produto. Assim, após a visita, o lead passa a receber notificações de contato da marca, que irão gerar gatilhos para que ele retorne à página e feche a compra.

2. Abandono de carrinho, nunca mais

Outra dor corriqueira das empresas é a alta taxa de leads que montam carrinhos de compra e os abandonam antes do checkout. É possível, através da SharpSpring, criar campanhas específicas para reduzir o drop-out dos carrinhos. Por exemplo, o lead poderá receber, após 30 minutos de desistência, um e-mail com um cupom de desconto que o incentivará a retornar ao desejo inicial de adquirir os produtos.

mão robótica clicando em botão de notebook

3. Formulário preenchido

Quando um lead opta por receber mais informações sobre algum produto, marca ou serviço, ele demonstra ter potencial para descer à base do funil. O “pulo do gato” para essa conversão está ligado à capacidade de manter o lead engajado. Para isso, a SharpSpring possibilita a criação de campanhas aos usuários que preenchem formulários nos sites, e sinalizam o desejo de serem contatados pela marca/empresa.

4. Lead com CPF registrado

É possível dar uma atenção específica a leads que disponibilizam seus CPFs para o banco de dados da empresa. Uma das estratégias que funcionam bem, de acordo com a SharpSpring, é abordar o cliente através de um e-mail assinado por um vendedor, passando, assim, um sentimento de exclusividade e atenção individual.

5. Personalização de campanhas

A personalização é uma das estratégias mais poderosas do marketing. Com a SharpSpring, é possível criar campanhas distintas para cada perfil de lead existente, por exemplo: separar entre B2B e B2C; diferenciar por ponto de chegada (rede social, Google Ads etc); tipo de interação; interesse por produtos específicos, e assim por diante.

6. Integração com as redes sociais

Há a possibilidade de criar campanhas para leads com base na navegação nas redes sociais. A plataforma consegue identificar usuários cadastrados do banco de dados da empresa que também interagem com ela através das redes. A partir daí, cria-se um fluxo de nutrição exclusivo para esse perfil de cliente.

7. Atenção aos leads quentes

Leads que atingem uma pontuação que os torna “quentes” na base de dados podem ser estimulados com campanhas focadas no diálogo com a equipe de vendas, diferentemente de leads frios, que podem se sentir intimidados com essa abordagem.

8. Leads aquecidos

Semelhantemente à estratégia anterior, os leads que recebem a avaliação de “aquecidos”, são direcionados a uma base de leads qualificados, e receberão uma nutrição de conteúdos pertinentes ao seu status.

9. Campanha de mídias pagas

Há um fluxo de contato característico a ser disparado para contatos que chegaram por meio de alguma campanha de mídia paga. Estas notificações devem envolver CTAs, que, caso atendidos, encaminharão o lead para uma trilha de nutrição diferente daquelas cujos leads não interagiram.

10. Leads do Facebook

A mecânica desse fluxo é similar à anterior, com a diferença de que ela está configurada para receber usuários que advém do Facebook. O e-mail de abordagem, neste caso, terá foco nas redes sociais.

11. Gatilho dentro de ação

Esta é uma das estratégias mais comuns adotadas pelas equipes de marketing: o contato estabelecido após o usuário inserir o seu e-mail em um cadastro no site. Normalmente, é enviado um e-mail ou notificação push de boas-vindas, que pode conter ou não um cupom de primeira compra, seguido de outros fluxos que irão depender da ação ou inércia do usuário após o recebimento do primeiro contato.

12. Formulário de Fundo de Funil

Quando o lead preenche um formulário pedindo um orçamento, agendamento ou envio de portfólio, por exemplo, ele deverá receber o contato de um vendedor, contendo um CTA com estímulo para que se mantenha engajado no propósito desejado. Os próximos passos vão depender do retorno dado pelo usuário após o contato inicial.

13. Campanha pós-venda

A retenção é tão importante quanto a conversão. Manter o cliente fidelizado é parte essencial de uma campanha de marketing bem-sucedida, logo, é importante que exista uma configuração de campanha dedicada ao pós-venda.

14. Visualização de mídias

Outro exemplo de fluxo se baseia na interação de um usuário com alguma mídia disponível pela empresa ou marca, como, por exemplo, download de e-books, catálogos, menus, vídeos e outros.

15. Atribuição e notificação de vendedor

O sistema da SharpSpring permite que donos de leads sejam notificados caso seus leads mudem de status (de aquecido para quente, por exemplo), fazendo com que as equipes de marketing e vendas ajam rapidamente, criando campanhas personalizadas ao perfil daquele usuário.

16. Conteúdos de calendário 

Outro gatilho muito utilizado é a criação de campanhas baseadas em eventos ou calendários. Por exemplo, e-mails de aniversário ou outras datas comemorativas, contendo CTAs, ou também sistemas de notificação e lembrete de webinars, lives e todo tipo de atividade que a empresa deseja divulgar.

17. Aquecer a base

A SharpSpring possui um sistema de fluxo voltado para transformar um lead frio em aquecido em pouco tempo. Esse grupo de ação é composto por uma trilha de quatro e-mails com gatilhos de CTA, que movem automaticamente o lead para uma lista de maior engajamento.

Quer saber mais sobre as possibilidades de automações da SharpSpring? Acesse agora mesmo o nosso conteúdo completo.

Compartilhe esse post:

Acelere!

Converse com nossos especialistas e entenda como a Aceleradora N1 pode transformar o marketing e vendas da sua empresa, lhe ajudando a fazer a diferença no mercado. Vamos acelerar juntos!